As vendas do setor supermercadista em valores reais registraram alta de 1,25% em 2017, na comparação com o mesmo período do ano anterior, de acordo com o Índice Nacional de Vendas ABRAS, elaborado pelo Departamento de Economia e Pesquisa, divulgado hoje (29), em coletiva de imprensa, em São Paulo.

 

Em dezembro, as vendas – deflacionadas pelo IPCA/IBGE – apresentaram alta de 20,42% na comparação com novembro e alta de 2,55% em relação ao mesmo mês do ano de 2016.

Em valores nominais, as vendas do setor apresentaram alta de 20,95% em relação ao mês anterior e, quando comparadas a dezembro do ano anterior, alta de 5,58%. No acumulado do ano, as vendas cresceram 4,75%.

 

Em 2017, o setor conseguiu resultado positivo e ficou dentro das expectativas iniciais lançadas pela ABRAS, que em sua primeira projeção, em janeiro do ano passado, esperava um resultado de 1,30% no acumulado do ano, e que foi revisada para 1,50% em julho, e em outubro foi novamente revisada para 1,30%.

 

“Ainda que a inflação de alimentos tenha sofrido deflação de -1,87% no ano, e o IPCA cheio; utilizado pela ABRAS para deflacionar o índice, teve alta de 2,95%, é certo que as vendas do setor conseguiram atingir um resultado acima de outros segmentos da economia brasileira em 2017, o PIB deverá fechar o ano com crescimento 1,00%”, afirma o presidente da ABRAS, João Sanzovo Neto.

“Em 2018, nós esperamos um ano um pouco melhor que 2017 para a economia brasileira, com o PIB crescendo por volta de 2,75%, e a expectativa é de que as vendas do setor continuem positivas, com crescimento real na ordem de 3,00%”, destaca Sanzovo.

 

 

Abrasmercado

No mês de dezembro, a cesta de produtos *Abrasmercado, pesquisada pela GfK e analisada pelo Departamento de Economia e Pesquisa da ABRAS, registrou alta de 1,01%, passando de R$ 444,54 para  R$ 449,02. Já no acumulado do ano, de janeiro a dezembro, a cesta apresentou queda de -7,05%.

 

 

As maiores quedas de preço no mês de dezembro foram registradas em produtos como: cebola, pernil, queijo mussarela e feijão. Já as maiores altas foram nos itens: farinha de mandioca, massa sêmola espaguete, tomate e carne traseiro.  Confira a tabela abaixo:

 

 

Regiões

Em dezembro, a Região Sul apresentou a maior alta nos preços (1,98%), chegando a R$ 505,45. A maior queda no valor da cesta foi registrada na Região Centro-Oeste (-0,80%), que custou em dezembro R$ 399,48. Veja a evolução da cesta Abrasmercado:

 

 

 

*Abrasmercado não é a cesta básica, mas, sim, uma cesta composta por 35 produtos mais consumidos nos supermercados: alimentos, incluindo cerveja e refrigerante, higiene, beleza e limpeza doméstica.