Com a pressão dos concorrentes digitais e o aumento nas despesas, o Bradesco anunciou que irá fechar 10% da sua rede de agências, que equivale a aproximadamente 450 unidades, até o final do ano que vem. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (31), pelo “Valor Econômico”.

Esta será a maior operação de fechamento de agências do Bradesco desde a compra do HSBC em 2016. Na ocasião em questão, foram fechadas 565 unidades em um ano.

A decisão ocorre após um trimestre abaixo do esperado e também aquém dos concorrentes diretos. Entre abril e junho, O Itaú Unibanco também passou por uma ocasião parecida, fechando 195 agências. O Banco do Brasil também informou, em julho, que iria fechar 242 unidades.

Do total de agências que serão fechadas, anunciadas pelo Bradesco, 50 já foram fechadas até o mês de setembro. Mais 100 serão encerradas até dezembro deste ano. Para o ano que vem, a previsão é de que sejam fechadas pelo menos 300 unidades. Veja também: Odontoprev reporta lucro líquido de R$ 53,3 milhões; queda é de 17,9% De acordo com o presidente do Bradesco Octavio de Lazari Jr., a redução tem como objetivo diminuir as despesas. Segundo o executivo, o fechamento das unidades não possuem relações geográficas e nem apenas de rentabilidade das próprias unidades.