Com a pandemia, as pessoas estão buscando alternativas para evitar sair de casa e o hábito de fazer compras online está crescendo a cada dia. Segundo a Associação Paranaense de Supermercados (Apras), essa modalidade de vendas praticamente dobrou no Paraná desde março em relação ao ano anterior.

O consumidor está cada vez mais habituado com essa transformação digital e as vendas online devem virar uma prática constante, mas no caso dos supermercados, não deve superar as lojas físicas. “O brasileiro é um povo que geralmente compra com os olhos, por isso, após este período de pandemia, o e-commerce estará mais consolidado, porém não irá substituir as lojas físicas”, afirma o superintendente da Apras, Valmor Rovaris.

Segundo a Apras, a pandemia fez muitos supermercadistas anteciparam seus projetos de e-commerce, o que contribuiu para que as vendas online crescessem em um mês o que deveriam crescer em cinco anos.

Por isso, a Apras destaca que é importante que as pessoas tenham um pouco de paciência e a consciência de que todos estão trabalhando da melhor maneira possível para garantir a segurança, agilidade e comodidade aos seus clientes. “Adaptar as operações, a logística e a equipe para o e-commerce é um processo que demanda planejamento, estrutura e tempo, mas como muitos consumidores estavam solicitando este novo modelo de vendas para ficarem em casa, as redes supermercadistas tiveram que colocar em prática os projetos que estavam previstos para serem executados nos próximos anos”, salienta Rovaris.

Essa nova realidade fez com que até mesmo os pequenos mercados incorporassem o e-commerce nos seus negócios. “É preciso que as empresas, independentemente do tamanho, estejam atentas a essa nova realidade e adaptem os seus negócios para atender o novo consumidor”, conclui.