Nos últimos três anos, a companhia investiu cerca de US$ 120 milhões no país, focando em estratégia de regionalização da produção de itens do seu portfólio, e coloca operação brasileira em posição de destaque em suas metas

Comprometida com o plano de crescer de forma sustentável, a Kimberly-Clark, multinacional americana detentora de marcas como Huggies®, Kleenex®, Neve®, Scott® e Intimus®, faz movimentações em sua estratégia de negócios para a América Latina, colocando o Brasil como centro de um processo de regionalização de produção. Com 150 anos de atuação no mundo, a empresa reforça seu compromisso com os mercados locais e busca soluções para os impactos relacionados ao abastecimento e ao aumento dos custos logísticos, além de ter o foco no cumprimento de suas metas de sustentabilidade.

A Kimberly-Clark já considera o Brasil como um importante mercado para seus negócios. Em 2018, o país tornou-se centro de inovação para os países da empresa na América Latina. Mesmo durante o período de pandemia a companhia seguiu investindo. Desde 2020, a empresa investiu cerca de US$ 120 milhões no Brasil, já considerando a previsão para 2022. A medida prevê investimentos tanto em termos de capacitação de funcionários e infraestrutura, como também aumento significativo da cadeia produtiva no Brasil, uma vez que, com o aumento na produção para exportação, os fornecedores envolvidos também serão impactados. Até 2022, todas as fábricas do Brasil terão produzido itens que também serão exportados.

Em visita às operações do Brasil pela primeira vez, o presidente da Kimberly-Clark para a América Latina, Gonzalo Uribe, que desde 2020 vem trabalhando novas metas de crescimento estratégico, destaca a relevância do país. “A pandemia acelerou a demanda por produtos de cuidado pessoal e aumentou a busca pelo nosso portfólio. O Brasil é um dos principais mercados da companhia no mundo e um dos que mais cresce, refletindo em muitas oportunidades. Como centro da estratégia de regionalização, o país potencializará o seu papel como hub de produção e ampliará a atual capacidade de abastecimento do mercado latino-americano, aumentando sua participação no negócio da companhia, sempre priorizando o cuidado com os seus colaboradores, com a comunidade, seus consumidores e parceiros de negócio”.

Com a ampliação da capacidade de produção no Brasil para o abastecimento dos países da América Latina, a estratégia em andamento impactará positivamente no uso da capacidade produtiva local. O volume adicional de matérias-primas adquiridas para manter essa operação é praticamente 100% nacional, de empresas fornecedoras de polímeros, não tecidos e celulose.

“Como parte da estratégia, ao longo de 2022, todas as fábricas do Brasil contarão com novas produções que também serão voltadas à exportação e, com a conversão local, a empresa terá mais flexibilidade para investir em inovações. Estamos traçando um plano completo, que atinge toda a cadeia produtiva, incentivando o comércio local, a geração de empregos e o reaquecimento da economia. Além de contribuir com um impacto positivo na redução das emissões de carbono e de gases de efeito estufa nas operações e na cadeia de suprimentos”, comenta Andrea Rolim, presidente da Kimberly-Clark no Brasil.

Alguns exemplos de produtos impactados pela estratégia são os da categoria de Femininos (Intimus), oriundos da Ásia, que passarão a ser produzidos na fábrica de Camaçari, na Bahia, tanto para atender ao mercado nacional quanto para abastecer, em um primeiro momento, o Chile e Peru. A expectativa da empresa é que a produção abasteça toda a região nos próximos anos. O avanço na nacionalização de produtos também beneficia categorias que foram impulsionadas pela mudança de hábitos de consumo na pandemia, como é o caso do produto Scott Duramax. No início do segundo semestre entra em operação a linha de conversão dedicada a produção local, em substituição a atual operação de importação da Colômbia. Serão produzidas milhares de unidades do produto localmente todos os meses, a partir da planta de Mogi das Cruzes. Com o investimento, há a expectativa de que a produção nacional cresça 40% já no primeiro ano da operação.

Com a estratégia, novos produtos também passarão a ser comercializados no Brasil. Nesse sentido, a companhia já produz no Brasil a linha Intimus 2 em 1, que pode ser usada para higiene menstrual e incontinência urinária e a linha Intimus Antibac, que conta com tecnologia exclusiva antibacteriana.

Com a criação de produtos e categorias que revolucionaram a indústria de higiene e autocuidado, a Kimberly-Clark tem a inovação como guia para seus negócios, e entende que inovar vai além da criação de produtos e novas tecnologias. Novas formas de relacionamento com o consumidor, que vem mudando seus hábitos de consumo, e o modelo de negócios da empresa para a região refletem esse pensamento, tendo os consumidores no centro do negócio, transformando decisões em ações e removendo barreiras de forma ágil.