A Pandemia da Covid-19 desestabilizou todas as áreas da economia mundial, e o setor supermercadista não saiu ileso. Alteração no horário de funcionamento, aumento no preço dos produtos e imposições de decretos com restrições e até mesmo lockdown foram alguns dos fatores que se somaram a toda a instabilidade econômica e sanitária.

Como forma de impactar o menos possível o setor, em União da Vitória, todas as ações restritivas impostas pela Administração Municipal foram feitas em comum acordo e com um diálogo franco com os representantes de supermercados e mercados do município.

Em maio de 2021, a prefeitura emitiu um decreto, o mais rigoroso de todos, como forma de diminuir a proliferação do vírus que estava com alto pico de contágio. “Um dia antes de assinar o Decreto, nos reunimos com diversos setores do município, entre eles o supermercadista, ponderamos a necessidade de medidas mais restritivas, ouvimos todos os lados, e então definimos as ações que seriam tomadas”, explicou o prefeito, Bachir Abbas.

Entre as medidas estavam o cancelamento de aulas presenciais na escola, diminuição no horário de funcionamento do comércio, toque de recolher e fechamento de supermercados aos domingos, essas últimas que tiveram impacto diretamente nos supermercados do município.

“Nós sempre deixamos claro que o nosso objetivo era impactar o menos possível a economia do município, mas chegamos a um ponto que as medidas seriam necessárias, pois estávamos falando de vidas, de pessoas que estavam morrendo por causa da Covid-19. Em conversa com os supermercados, todos entenderam a situação que o município estava passando, e também nos apoiaram nas nossas decisões, mesmo precisando diminuir o horário e alterar o seu funcionamento”, afirmou Bachir.

Além do diálogo, a prefeitura também sempre apoiou os supermercados, com a distribuição de adesivos para a delimitação de distanciamento entre os clientes, e esteve aberta para ouvir as necessidades de cada empresário, diante da situação inédita para todos.

“Graças ao engajamento dos nossos supermercados locais, e os altos padrões de controle sanitários, que já é de costume do setor, tivemos, pelo que sei, os melhores resultados em relação as demais regiões, sem, no entanto, termos adotados medidas mais restritivas”, afirmou o presidente regional de União da Vitória, Fábio Storck.

Fábio também ressaltou que o apoio e o diálogo com o poder público foram essenciais para que o atendimento ao cliente e também os supermercadistas não fossem tão prejudicados como em outras cidades que tiveram medidas mais restritivas. “Aqui sempre foi priorizado o bom senso, e por ser desta forma conseguimos vencer muitos obstáculos de forma exemplar”, finalizou o presidente.